Pais e cuidadores: 6 atividades para a criança com autismo

Duas crianças autistas brincando com um violão enquanto a mãe está atrás só observando

Geralmente, a maioria das crianças adora se envolver em atividades lúdicas e motoras. E a justificativa para esse tamanho apreço pelas artes e travessuras é só um: DIVERSÃO!
O que elas não sabem, porém (e esse pode ser o nosso segredo), é que as brincadeiras infantis, incluindo cantigas de roda, pintura com os dedos, modelagens em massinha etc, são uma ótima forma de incentivar o desenvolvimento físico, psicológico e social delas.
Só que o mais legal vem agora: esse tipo de entretenimento educativo, tratando-se de crianças do espectro autista, são ainda mais importantes. Afinal, quando bem aplicado, um simples passatempo se torna uma baita oportunidade para que os pequenos explorem as cores, formas, sons e texturas e, claro, estimulem seu foco, atenção e interação social.
Pensando nisso, preparamos 6 atividades que os pais e responsáveis vão adorar fazer com os seus pequenos com necessidades especiais! Vamos lá?

1. Garrafa sensorial

Quem não gosta de “viajar” em glitters e desenhos flutuantes na água? Bom… as crianças adoram, especialmente aquelas do espectro do autismo.
A garrafa sensorial é uma ótima atividade para treinar a concentração do pequeno, assim como envolvê-lo na brincadeira. Dependendo da idade, é possível criar garrafas com bichinhos flutuantes, letras, números e até mesmo sílabas.
Juntos, vocês poderão se divertir identificando as formas e, por meio delas, construindo frases, histórias (e o que mais der na telha) juntos!
Para fazê-la, você vai precisar de:

  • 1 garrafa pet pequena (500 ml) e transparente;
  • água;
  • glitter e/ou lantejoulas;
  • letrinhas, bichinhos, números ou desenhos plastificados (lembre-se: o tamanho destes deve ser pequeno o suficiente para que caibam várias opções dentro da garrafa, porém, que não ocupem muito espaço para que a criança possa reconhecê-los separadamente).

2. Pintura com gelo

Fazer pinturas e criar narrativas e brincadeiras com elas pode ser uma brincadeira super divertida para se fazer.. Agora, imagina se divertir dessa forma e ainda ter contato com texturas, estados e cores diferentes? Bem, esse é o objetivo da pintura com gelo.
Funciona assim: em uma forma, coloque as cores que a criança mais gosta (dependendo da idade e do nível do espectro do seu filho, peça para que ele as escolha!) e deixe-as congelando por um tempo.
Depois, é só fazer bagunça! Deixe que a criança pinte com o gelo, descubra a textura e temperatura dele e, principalmente, veja com os próprios olhos as mudanças do estado dele (de sólido para líquido).
É uma alternativa incrível, pode confiar.

3. Caixinha de obstáculos

Uma ótima forma de fazer o pequeno trabalhar sua coordenação motora e raciocínio lógico, e ainda se divertir bastante, é formando um pequeno labirinto de elásticos para ele.
Para isso, basta pegar uma caixa de sapatos e, dentro dela, atravessar vários elásticos de um lado para o outro, formando pequenos obstáculos. Depois, jogue alguns brinquedinhos dentro dela e peça para que ele os pegue.
Além de mantê-lo entretido por bastante tempo, você estará trabalhando uma série de habilidades que, para o desenvolvimento de uma criança com TEA, são muito úteis.

4. Desenterrando tesouros!

Uma brincadeira incrível para se fazer com seus filhos envolve uma grande “escavação” pelo brinquedo perdido!
Para ela, basta pegar uma caixa ou recipiente com mais profundidade e enchê-lo de feijão, milho ou miçangas. Atenção: certifique-se de que a criança não os coloque na boca.
Depois, mergulhe alguns brinquedos nela e, juntos, podem partir em busca dos tesouros!
Essa atividade contribui muito para melhorar as habilidades e tolerâncias sensoriais da criança, além de promover um excelente momento em família.

5. Mais música, por favor!

Se o seu filho tiver dificuldade para falar, uma ótima forma de trabalhar isso nele é a música!
Cante algumas canções infantis, interaja com ele, incentive-o o dançar junto, seguir o ritmo e, com o tempo, esboçar os sons que as letras produzem. Além disso, coloque à disposição alguns instrumentos como tambores, pianinhos, guitarrinhas etc. Assim, além de brincar e explorar várias sensações diferentes, ele ainda vai produzir os próprios sons!
Todos estes fatores contribuem para que ele crie um vínculo maior com a família e desenvolva, ainda, suas capacidades sensoriais e cognitivas.

6. Mesinha sensorial

Que tal montar uma mesinha com várias opções para que a criança explore todos os cinco sentidos? Para isso, a melhor alternativa, acredite, é escolher itens que podem ser comidos. Afinal, o impulso oral é uma característica muito comum nos pequenos.
Separe alimentos com diversas texturas. Aposte em frutas (moles e duras), cereais, gelatinas, grãos, biscoitos, queijos etc. Deixe que a criança pegue neles, cheire-os, explore-os com o tato e, claro, coloque-os na boca.
Além disso, diga ela o que está acontecendo, qual é o nome daquilo que ela está segurando, conte uma história, invente uma canção e deixe a criatividade tomar conta!
Esses experimentos são ótimos para tirar um pouco da aflição que algumas crianças com espectro autista podem ter com diferentes texturas, e ainda trabalha nelas algumas noções de concentração e interação social. Porém, nunca force a criança a fazer alguma brincadeira. Ofereça, deixe disponível, mas lembre-se que para alcançar o aprendizado, a brincadeira deve ser divertida e prazerosa. Não se preocupe se ele não se interessar na primeira vez que você oferecer.

Enfim…

Ter um filho com autismo pode se tornar uma parte extenuante da vida cotidiana dos pais. Porém, se você demonstrar a ele todo seu amor e cuidado incondicionais, e passar um tempo de qualidade em família, com brincadeiras e passatempos que, além de incríveis, são extremamente educativos e estimulantes, pode apostar que tudo será um pouco mais fácil!

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Neurologia

Médica, especialista em pediatria e neurologia pediátrica. Atende na Magno Veras Clínica Pediátrica, em Belo Horizonte.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *