Ansiedade e depressão: você sofre disso?

Mulher com ansiedade e depressão sentada no sofá. Ela está com olheiras e a mão apoiada na boca.

Sentir-se triste ou ficar ansioso de vez em quando é normal. Porém, quando tais sentimentos se tornam contínuos, acontecem sem razão, ou nos trazem algum prejuízo em nossa vida, é preciso investigá-los mais a fundo.
Pensando nisso, no texto a seguir, iremos apresentar dois dos transtornos psicológicos mais comuns em nossa sociedade: a depressão e a ansiedade.

O que é a depressão?

Mais do que apenas uma crise de tristeza, a depressão é uma doença que afeta a forma como a pessoa se sente, pensa e se comporta. Afinal, ela provoca sensações persistentes de tristeza, medo e desânimo, podendo durar mais de duas semanas e sem um motivo aparente (perda ou luto).
O humor deprimido, a perda de interesse por atividades que antes traziam prazer, perda ou ganho de peso excessivo, redução ou aumento do sono, falta de energia, desprezo por si próprio, perda da concentração e pensamentos recorrentes de morte, são as principais características da depressão. Nesses casos, deve-se procurar ajuda psiquiátrica/ médica o quanto antes.
Na depressão, existe um desequilíbrio dos neurotransmissores que atuam no cérebro. Seu tratamento, geralmente longo, depende do uso correto de medicamentos antidepressivos para estabilizar essas substâncias. Por essa razão, não é possível curar a depressão apenas com pensamentos positivos! A terapia inclui medicação e, quando indicadas, sessões de psicoterapia e/ou psicanálise.

E o que é a ansiedade?

A ansiedade é um transtorno que provoca sentimentos constantes de medo (intenso), aflição, preocupação e perturbações comportamentais podendo até mesmo chegar em crises de pânico/medo.
O medo é a resposta emocional a uma ameaça iminente, real ou percebida, enquanto ansiedade é a antecipação de ameaça futura. Apesar de diferentes, estes estados muitas vezes se sobrepõem. Eles costumam se manifestar de forma repentina e, na maioria das vezes, atingem seu pico em questão de minutos.
A principal característica do do transtorno ansioso é a recorrência de sofrimento ante a ocorrência ou previsão d a perda de coisas ou figuras às quais nos apegamos. Alguns exemplos são: preocupação excessiva com pessoas queridas, medo de separação, medo de ficar sozinho e pesadelos envolvendo temas cotidianos.
A longo prazo, a ansiedade pode interferir bastante nas atividades diárias de uma pessoa. Afinal, todos esses sentimentos provocados por ela são intensos e desproporcionais à situação real.
São exemplos de transtornos de ansiedade: fobias (social, de altura, de palhaços, de aranhas, de lugares fechados etc), transtorno obsessivo compulsivo (TOC), síndrome do pânico etc.
Vale ressaltar que uma pessoa pode ter mais de um transtorno de ansiedade e, para qualquer situação, o acompanhamento médico e psicológico é essencial.

Quais são os sintomas de cada condição?

No transtorno misto de ansiedade e depressão, os sintomas das duas condições se sobrepõe. É o caso da insônia, irritabilidade, dificuldade para se concentrar etc. Porém, acredite: existem várias diferenças importantes entre as duas condições e, agora, vamos conversar um pouco sobre elas.

Sintomas da depressão

  • Fadiga;
  • desânimo;
  • sensação frequente de lentidão;
  • dificuldade de concentração, tomada de decisões ou para se lembrar de algo;
  • mudanças no apetite ou peso;
  • dificuldade para dormir;
  • perda de interesse nas atividades que costumavam ser hobbies;
  • sentimentos persistentes de tristeza, pessimismo ou vazio;
  • raiva, irritabilidade ou inquietação;
  • sentir-se culpado, inútil ou impotente;
  • pensamentos de morte ou suicídio.

Sintomas de ansiedade

  • Cansaço;
  • dificuldade para se concentrar ou lembrar de algo;
  • tensão muscular;
  • taquicardia (coração acelerado) com ou sem motivo aparente;
  • ranger os dentes;
  • dificuldades para dormir;
  • inquietação, irritabilidade ou sentimento de “estar por aqui” com tudo e todos;
  • dificuldade em controlar a preocupação ou o medo;
  • pânico.

Afinal: ansiedade e depressão têm cura?

Quando tratadas de forma séria e constante, tanto a ansiedade quanto a depressão podem ser controladas. O tratamento se baseia no uso de medicações antidepressivas e/ou ansiolíticas e sessões de psicoterapia.
No mais, não deixe de detalhar bem seus sintomas ao médico para que ele tome a melhor decisão para o seu caso, combinado?

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Psicologia

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *