Anemia ferropriva em crianças: o que é e como preveni-la?

Criança triste e pálida com anemia ferropriva se alimentando, na escola, de alimentos que possuem ferro

Você sabia que bebês, crianças e adolescentes têm maior predisposição para anemia ferropriva? Isso acontece porque, durante a fase de desenvolvimento, elas precisam bastante de ferro para crescerem bem.
Inclusive, é aí que mora o perigo: sem uma boa dieta, rica neste e em outros nutrientes, o paciente costuma desenvolver sérios problemas de saúde, comprometendo sua curva de crescimento e comprometer o desenvolvimento cerebral.
Pensando nisso, separamos o artigo de hoje para conversarmos um pouco sobre essa condição, e dar algumas dicas de como evitá-la. Vamos lá?

Afinal, o que é a anemia ferropriva?

Também conhecida como “deficiência de ferro”, a anemia ferropriva acontece quando não há deficiência desse mineral no corpo, reduzindo o número de glóbulos vermelhos no sangue.
A título de curiosidade, os glóbulos vermelhos são células que contêm hemoglobina, uma proteína que transporta o oxigênio do nosso pulmão para todo o restante do corpo. Para produzi-la, o organismo precisa de ferro.

E quais são os fatores de risco para anemia ferropriva?

  • prematuridade e baixo peso ao nascer;
  • bebês alimentados com leite de vaca antes de um ano de idade;
  • não introduzir alimentos complementares ao leite materno após seis meses de idade;
  • bebês que recebem fórmula sem adição de ferro;
  • bebês amamentados no peito por mães com alimentação deficiente em ferro;
  • crianças submetidas a restrições alimentares (ex: dieta vegetariana);
  • mudanças corporais bruscas (quando o corpo passa por um estirão de crescimento, ele utiliza uma maior quantidade de ferro;
  • baixa absorção de ferro no organismo (pode ser ocasionada por condições como a doença celíaca, medicamentos, infecções crônicas, parasitoses intestinais etc);
  • perda de sangue devido a lesões, períodos menstruais, hemorragias etc.

Sintomas

Inicialmente, crianças e adolescentes com anemia por deficiência de ferro podem não apresentar sintomas. Porém, quando eles aparecem, podem vir na forma de:

  • palidez;
  • cansaço;
  • alterações de humor;
  • tonteira;
  • batimentos cardíacos rápidos;
  • respiração ofegante;
  • atraso no desenvolvimento;
  • problemas comportamentais;
  • unhas quebradiças;
  • estomatite angular;
  • vontade de comer coisas estranhas (como terra, tijolos, sujeira, gelo etc).

Como saber se seu filho está com deficiência de ferro?

Se você notar que seu filho apresenta um ou mais dos sintomas acima, procure por ajuda médica. A anemia ferropriva é diagnosticada por meio do exame físico e testes laboratoriais (hemograma).

Tratamento

Normalmente, a anemia ferropriva é tratada por meio de suplementos de ferro, por via oral. As doses variam de 3 a 5 mg/kg/dia por no mínimo 8 semanas.
Para ajudar o ferro a ser absorvido pelo organismo:

  • evite dar o suplemento junto a antiácidos, leite, chá ou qualquer bebida que contenha cafeína, porque eles interferem na capacidade do corpo de absorver o ferro;
  • dê o suplemento antes das refeições principais.

Quando essa condição for causada por algo diferente da falta de ferro na dieta, o tratamento pode incluir outras medidas que, obviamente, vão variar de acordo com o quadro do paciente.

E, por fim: como prevenir a anemia ferropriva?

Durante a amamentação

O aleitamento materno exclusivo e prolongado é uma das principais medidas para prevenir a anemia ferropriva.
Aos 3 meses de idade, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda iniciar a suplementação com sulfato ferroso nos bebês nascidos à termo. Recém nascidos pré-termo ou com baixo peso iniciam a suplementação com 30 dias de vida.

Importante:
O leite de vaca não deve ser oferecido ao bebê até os 12 meses. Após essa idade, limitar o consumo à 500ml por dia.

Situação Quando usar Dose recomendada
Recém-nascidos a termo, de peso adequado para a idade gestacional em aleitamento materno exclusivo ou não 3 a 24 meses
  • 1 mg de ferro elementar/kg peso/dia
Recém-nascidos a termo, de peso adequado para a idade gestacional em uso de menos de 500ml de fórmula infantil por dia 3 a 24 meses
  • 1 mg de ferro elementar/kg peso/dia
Recém-nascidos a termo com peso inferior a 2500g 30 dias a 24 meses
  • 2 mg/kg de peso/dia por 12 meses
  • 1mg/lg de peso/dia até os 24 meses de idade
Recém-nascidos pré-termo com peso entre 2500 e 1500g 30 dias a 24 meses
  • 82 mg/kg de peso/dia por 12 meses
  • 1mg/lg de peso/dia até os 24 meses de idade
Recém-nascidos pré-termo com peso entre 1500 e 1000g 30 dias a 24 meses
  • 3 mg/kg de peso/dia por 12 meses
  • 1mg/lg de peso/dia até os 24 meses de idade
Recém-nascidos pré-termo com peso inferior a 1000g 30 dias a 24 meses
  • 4 mg/kg de peso/dia por 12 meses
  • 1mg/lg de peso/dia até os 24 meses de idade

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria (CONSENSO SOBRE ANEMIA FERROPRIVA: MAIS QUE UMA DOENÇA, UMA URGÊNCIA MÉDICA!)

Durante a introdução alimentar

Quando a alimentação complementar for iniciada, aos 6 meses, o bebê deve receber alimentos ricos em ferro, como carne vermelha, frango e grãos (feijão, lentilha etc).
Cereais integrais (arroz, trigo) devem ser evitados antes de um ano de idade, pois o excesso de fibras na dieta pode prejudicar a absorção do ferro.
Independente da dieta, a suplementação com sulfato ferroso deve ser mantida até os 24 meses de idade.

Após um ano de idade

Em crianças maiores podem ser introduzidos outros alimentos como peixe, vísceras, brócolis e espinafre.
Outros cuidados são:

  • evitar que a criança tome mais do que 500 ml de leite de vaca por dia, pois ele é pobre em ferro e pode acabar reduzindo a ingestão de alimentos mais ricos;
  • oferecer alimentos ricos em vitamina C nas refeições, pois eles aumentam a absorção do ferro (frutas cítricas, morango, pimentão, tomate e vegetais de folhas verde escuro);
  • bebidas como chá, café e refrigerantes reduzem a absorção de ferro e devem ser evitadas;
  • manter a suplementação até os 2 anos.

Para todas as idades, é importante incentivar uma alimentação saudável e diversificada, rica em ferro e outros nutrientes essenciais para a nossa saúde. Inclusive, se você quiser aprender a montar um prato perfeito, com tudo o que seus pequenos precisam para crescer bem, é só clicar aqui.

Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!

Pediatria

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *