Mulher em uma cama amamentando seu bebê

Dra. Adriana Bonfioli

Finalmente estamos em agosto, o mês que, desde 2016, têm sido dedicado à conscientização e apoio ao aleitamento materno. Neste ano, o tema é “Apoie a amamentação para um planeta mais saudável” e, acredite se quiser, os dois assuntos têm VÁRIOS pontos em comum.

Pensando nisso e, claro, aproveitando a Semana Mundial do Aleitamento Materno, trouxemos 5 motivos pelos quais a amamentação é tão importante para as mães, os bebês e, obviamente, para o meio ambiente. Vamos lá?

1. Custo-benefício

Amamentar é o jeito mais rentável, seguro e saudável de alimentar os pequenos porque, bem… além de ser exatamente o que eles precisam, é de graça!

O importante, aqui, é que a mãe cuide bem de sua dieta durante e após a gravidez para garantir ao pequeno todos os nutrientes necessários para crescer e se desenvolver e pronto: já é meio caminho andado!

2. Nutrição

De uma coisa você pode ter certeza: na natureza tudo tem um propósito. Afinal, por que você acha que os bebês precisam do leite materno?

Ocorre que esse “ouro branco”, como muitas pessoas o chamam, possui todos os nutrientes que os pequenos precisam para crescerem e se desenvolverem bem!

Além disso, sua oferta equilibrada de gorduras, proteínas, vitaminas e açúcares, além de alimentarem o recém-nascido, também oferecem a ele proteção e até mesmo prevenção contra doenças futuras como hipertensão, diabetes e obesidade!

O corpo humano é tão impressionante que, dentro do possível, até mesmo mães desnutridas são capazes de alimentar bem os seus filhos por meio da amamentação. Sendo assim, não é de se espantar que uma ação como essa é capaz de prevenir a fome e a subnutrição infantil.

3. Hidratação

A amamentação é, também, a única e principal fonte de hidratação necessária para os bebês. Por isso, o leite materno deve ser dado exclusivamente até o sexto mês.

4. Recursos

O aleitamento materno demanda muito pouco do mercado e, consequentemente, do planeta. É só pensar que, para produzir uma latinha de fórmula infantil, foi preciso matéria-prima, água, energia, combustíveis fósseis, mão-de-obra e por aí vai. Isso sem falar no impacto do descarte de todas as latas utilizadas! Por outro lado, tudo o que uma mulher precisa para manter seu leite forte e nutritivo para os filhos é uma dieta rica, saudável e balanceada.

5. Empoderamento

Ok, esse tópico não tem muita relação com o meio ambiente em si, mas sim com as mães e as políticas públicas que as circundam.

Ocorre que, em muitos países, a amamentação em público ainda é vista como um atentado ao pudor. Porém, muitas vezes, as mulheres precisam sair de casa para resolverem algum problema e, principalmente quando o filho é recém-nascido, é necessário levá-lo junto para alimentá-lo nos momentos certos.

Então, o apoio e a conscientização sobre o aleitamento materno serve para que haja cada vez mais espaço para essas mães, e compreensão por parte das pessoas que estão ao seu redor. Só isso, em si, já encoraja várias mulheres a continuarem amamentando ao invés de passarem rapidamente para as fórmulas.

Enfim…

As campanhas de aleitamento materno, ao longo de todos esses anos, já comprovaram o quanto esse ato é importante para o mundo. Por meio dele, os pequenos ficam mais seguros e nutridos, as mães menos atarefadas, tranquilas e saudáveis (sim, amamentar pode reduzir os riscos para o câncer de mama) e, o meio ambiente, mais fortalecido, preservado e bem-cuidado.

No mais, poderíamos ficar horas discutindo os benefícios e poderes da amamentação, mas você com certeza já entendeu o recado! Se possível, escolha pelo aleitamento materno e conscientize a todos que estão em sua volta sobre ele!

Cuide-se e até a próxima!

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.