Mãe jovem amamentando seu filho sentada em um cadeira no quarto do bebe recém nascido

assinatura Tulia Fadel

A orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) é que o bebê receba, exclusivamente, o leite materno até os seis meses de vida e, depois disso, que ele seja associado a outros alimentos, até que a criança complete dois anos.” Para estimular a prática, 170 países estão unidos reforçando a importância da amamentação para os bebês.

Também a pediatra, Túlia Fadel, especialista aqui do Convite à Saúde, participa ativamente da campanha. Ela  alerta que muitas são as vantagens da amamentação. “Os benefícios são importantes não só para os bebês, que precisam do alimento, mas para as mães e o laço afetivo dos dois”.

Porque é importante amamentar

  • aumenta o contato e o afeto com o bebê;
  • ajuda na perda de peso da mãe;
  • ajuda o útero a voltar para seu tamanho normal;
  • a perda de sangue, pós-parto, acaba mais cedo;
  • diminui a chance da mãe desenvolver cânceres no futuro, de mama e ovário.
  • o leite materno é prático, não precisa ferver, misturar, coar, dissolver ou esfriar; está sempre pronto, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Porque o leite materno é bom para o bebê?

  • o leite materno é fácil de digerir, não sobrecarrega o intestino e os rins do bebê;
  • 25% menos chances da criança desenvolver obesidade no futuro;
  • reduz as chances de desenvolvimento, no futuro, de doenças crônicas como diabetes e doenças cardiovasculares;
  • o leite materno é o ideal para o bebê. Há um intrínseco sistema que faz com que ele seja adequado da mãe para seu próprio filho, como se fosse uma ‘receita mágica’;
  • o leite materno é um alimento que contém todos os nutrientes em doses exatas;
  • proporciona ótimo crescimento e é de fácil digestão;
  • já contém água;
  • estimula todo o sistema imunológico do bebê, protegendo contra infecções e alergias;
  • diminui problemas ortodônticos (dentes) e fonoaudiológicos (fala);
  • o que está sendo foco de estudo em todo o mundo é como o leite materno influi na parte neurológica da criança. Simplesmente o leite materno aumenta a inteligência;

Como se preparar para amamentação

A pediatra esclarece que todas as grávidas devem se preparar para a amamentação.

“O primeiro ponto a ser trabalhado é buscar informações  suficientes, ao esclarecer os fatos, amplia a vontade de amamentar. A grávida  deve se instruir com seu obstetra e, de preferência, com o pediatra, durante a gestação, pode também procurar materiais de boas referências para leitura.” Ela acrescenta que, efetivamente, não há nada comprovado cientificamente, que faça com que o mamilo se torne mais resistente para sucção do bebê e que  esse processo será desenvolvido no decorrer da amamentação. Portanto, a mãe deve ter consciência de que alguns percalços podem ocorrer, principalmente a fissura mamária, que pode ser bastante dolorosa, mas que será tratada no decorrer do processo.

Ela explica que não há comprovação sobre o resultado efetivo de esfregar o mamilo com buchas, mas um bom banho de sol é interessante.

Dicas preciosas para amamentar:

  1. Busque informações com o seu médico. Isso irá diminuir sua ansiedade em relação ao momento;
  2. Invista, pela manhã até as 10h, ou no fim da tarde, em banhos de sol na mama;
  3. beba bastante líquido.

Amamentação X trabalho: o que fazer quando a licença maternidade acaba

O Ministério da Saúde (MS) desenvolveu uma cartilha para orientar as mães que trabalham fora a manterem a amamentação.

Dentre as dicas divulgadas estão:

  • se for possível e desejado, leve o bebê pequeno com você ao trabalho, ou peça para alguém levá-lo no trabalho para ser amamentado;
  • fale e explique ao seu patrão e seus colegas a importância de amamentar, explique especialmente que o leite materno protege seu filho, que ficará menos doente, e que, assim, você faltará menos ao trabalho e estará mais contente; explique tudo isso também aos seus familiares.

A produção de leite se dá de acordo com a demanda da criança, ou seja, quanto mais o bebê suga, mais leite é produzido. Na ausência de sucção é essencial esvaziar as mamas extraindo o leite em intervalos regulares. Assim, é importante dar o peito sempre que você estiver com o bebê.  A prolactina, hormônio responsável pela produção de leite, é liberada mais à noite. Então, amamentar durante a noite ajuda a manter uma boa produção de leite.

Conforme orientação do MS, a duração total da licença maternidade pode ser usada para amamentar exclusivamente. Nos últimos 15 dias da licença, você pode começar a retirar o seu leite e estocá-lo no freezer ou congelador, de preferência em pequenas quantidades, para que haja um estoque pronto a ser dado ao bebê quando você começar a trabalhar.

Alimentar o bebê com xícara, copinho ou colher é fácil, mas é preciso que a pessoa que vai cuidar do bebê aprenda a fazer isso. Recomenda-se que ela pratique dar o seu leite ao bebê com um desses utensílios durante alguns dias antes do final da sua licença. Assim você retornará ao trabalho segura de que seu bebê estará bem alimentado.

A higienização das mãos, mamas, frascos e dos utensílios que vai usar é muito importante para manter a qualidade do leite. O prazo de validade do leite cru é de 12 horas, se guardado na geladeira, e de 15 dias, se estocado no freezer ou congelador.

Conheça a cartilha completa
Gostou desse artigo? O Convite à Saúde possui a editoria Gestante e Bebê com muitas informações para seu filho crescer forte e saudável: acesse!