Alimentos ultraprocessados engordam? Como o peso está relacionado a eles?

Alimentos ultraprocessados em tigelas visto de cima.

A cada ida ao supermercado, uma só percepção: é impressionante o quanto os alimentos ultraprocessados ocupam cada vez mais espaço, tanto nas prateleiras quanto na vida das pessoas. Afinal de contas, são saborosos e práticos, duram meses na geladeira e ficam prontos em alguns minutos no micro-ondas.

Mas, essa praticidade embutida em uma embalagem traz sérias consequências. Os alimentos ultraprocessados e ganho de peso estão cada vez mais relacionados, assim como a manifestação de diversas doenças.

Para você entender melhor sobre o assunto, basta continuar conosco!

O que são alimentos ultraprocessados?

Alimentos ultraprocessados são aqueles que passam por um intenso processamento industrial. Eles contam com adição de substâncias químicas, conservantes, sal, gorduras, açúcar e elementos que diminuem os nutrientes dos ingredientes.

Ou seja, embora pareçam muitas vezes em sabor e textura com as refeições que você prepara em casa com alimentos naturais, são totalmente diferentes.

É fácil identificá-los na hora da compra. Basta olhar o descritivo da embalagem. Quanto mais itens estiverem presentes na lista, por mais processos aquele alimento passou. Além disso, você é capaz de identificar nomes estranhos dos compostos químicos presentes, assim como o acréscimo de corantes e aromatizantes que, por lei, as marcas devem apontar.

Exemplos de alimentos ultraprocessados

De maneira geral, tudo que passa pelo processo de industrialização é um alimento processado. Se você ainda não identificou que tipo de produto é esse, seguem alguns exemplos:

  • bebidas açucaradas como sucos e refrigerantes;
  • salgadinhos em geral (chips, batatinhas, pimentinha, etc.)
  • bolos e biscoitos;
  • chocolate;
  • carnes processadas como salsichas, mortadela, bacon e hambúrgueres;
  • sopas e macarrão instantâneos;
  • barras de cereal;
  • refeições prontas para esquentar como pizza, lasanha, massas etc.
  • fast food em geral.

Qual a relação de alimentos ultraprocessados e ganho de peso?

Mas, exatamente por que os ultraprocessados engordam?

  • Açúcar: esses alimentos contam com alto teor de açúcar adicionado.
  • Aditivos: corantes, conservantes, antioxidantes, estabilizantes e aromatizantes são utilizados para deixar o alimento mais saboroso, atraente e ter maior validade. Eles impactam na absorção de nutrientes e no funcionamento equilibrado do organismo.
  • Aumento dos hormônios da fome: a pessoa demora mais a se sentir saciada e come mais.
  • Maior consumo de sal: os alimentos industrializados contam com excesso de sal, o que aumenta a retenção de água e tem várias consequências negativas para a saúde.
  • Alto valor calórico: em geral, contam com mais calorias que as comidas preparadas com alimentos in natura.

Mas não é só isso. Os processados foram desenvolvidos para que seu consumo seja maior, às vezes mais de uma porção por refeição.

Estudos comprovam o ganho de peso devido à dieta ultraprocessada.

O NIH (Instituto Nacional da Saúde) dos Estados Unidos realizou uma pesquisa que comprova na prática o ganho de peso com o consumo de alimentos ultraprocessados.

No acompanhamento, 10 homens e 10 mulheres – todos adultos saudáveis e com peso estável entre 77 e 79 quilos – foram internados por quatro semanas em um ambiente com as refeições controladas.

Nas duas primeiras semanas, metade do grupo foi alimentado com comida de verdade, preparada com ingredientes in natura. Já a outra parte do grupo só recebeu ultraprocessados neste período.

Em um segundo momento da pesquisa, nas duas últimas semanas, a alimentação dos grupos foi invertida. As refeições contaram com os mesmos macronutrientes e calorias, e todas as taxas de proteína, gordura, carboidrato, fibras, sal e açúcar foram devidamente medidas. Além disso, eram iguais tanto nos ultraprocessados quanto no preparo dos alimentos.

O resultado da pesquisa é que nas semanas em que a dieta era de ultraprocessados, as pessoas comeram mais e engordaram 1 kg em duas semanas. Já no caso em que as refeições eram com alimentos in natura, todos perderam peso, em sua maioria – 1 kg.

O consumo de alimentos ultraprocessados causa doenças?

Pode parecer inofensivo o consumo de alimentos ultraprocessados. Há, por exemplo, quem pratica exercícios físicos para abusar desse tipo de alimentação, pensando que se controlar o peso, o problema está resolvido. Mas não é bem assim.

Essas refeições favorecem o excesso de calorias, mas essa não é a única questão. Repletos de conservantes, componentes modificados em laboratório, sódio e de produtos de origem desconhecida, os ultraprocessados são baixos em nutrientes e ricos em perigos escondidos.

O resultado desse combo é o impacto na saúde. Se consumidos a longo prazo, esse tipo de alimentação traz diversas influências negativas e o aparecimento de doenças.

Eles favorecem:

Isso sem falar que, com a falta de nutrientes, sua imunidade também fica comprometida. Dessa forma, você fica vulnerável a várias doenças, uma vez que seu organismo não consegue combater uma simples gripe.

Como ter uma alimentação saudável?

Você já percebeu que ingerir alimentos que passam por muitos processos de industrialização não é uma boa, certo? Se você comê-los uma vez ou outra, os impactos no seu organismo não são grandes, ainda que possa haver desconforto na digestão. Mas, essa não deve ser a base da sua dieta diária.

Para uma alimentação balanceada, vale a pena seguir um conselho: desembale menos, descasque mais.

Temos à disposição muitos alimentos que fazem bem, são saborosos e que, com alguns minutos de preparo na cozinha, te darão todos os nutrientes e vitaminas necessários.

Para ter uma alimentação saudável, considere o consumo de verduras, legumes, frutas, fibras, proteínas (peixes, cogumelos, queijos, ovos, carnes vermelhas, feijão, grão de bico, carne de frango, entre outros), gorduras boas (óleo de coco, azeite, manteiga ghee, abacate) e carboidratos complexos (massas integrais, pão integral, batata etc.).

Temos um artigo com todos os detalhes para ter uma alimentação saudável!

E se a saúde não for motivo suficiente para você optar por uma alimentação balanceada, que tal considerar a economia? Uma ida à feira ou sacolão para comprar os ingredientes para suas refeições pesa bem menos no bolso!

 

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.

Nutrologia

Médica oftalmologista e idealizadora do Convite à Saúde. Atualmente atende na Clínica Advision, nas especialidades de plástica ocular e cirurgia de catarata. Paralelamente, escreve e coordena o departamento de redação do portal, além de prestar consultoria na área de auditoria médica.

Deixar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *