Cachorro comendo um pedaço de carne com osso na grama, parte da alimentação natural para cães

Dr. Artur Vasconcelos

Uma das dúvidas mais comuns de quem pratica a alimentação natural para cães é: que tipos de carnes posso dar ao meu pet? Que outros alimentos incluir na dieta? E em quais proporções?

A verdade é que, para garantir uma dieta ideal para o seu peludo, a consulta com um veterinário especializado em nutrição é essencial. Afinal, cada pet tem necessidades diferentes e, algumas vezes, apresenta doenças ou condições especiais que exigem uma adequação dos alimentos.

Além disso, geralmente é necessário fazer a suplementação de algumas vitaminas e minerais que não são encontrados facilmente nos ingredientes que temos à disposição. A deficiência ou o excesso desses micronutrientes podem ser prejudiciais à saúde dos nossos cães.

Alimentos que devem fazer parte da dieta dos cães

Os cães devem receber, na alimentação natural, os mesmos tipos de alimentos que consomem na natureza, ou seja:

  • proteína de origem animal (carnes oferecidas cruas);
  • gordura de boa qualidade;
  • pequena quantidade de frutas e vegetais ricos em antioxidantes e fibras;
  • fontes naturais de minerais, vitaminas e ácidos graxos.

Os alimentos devem ser SEMPRE frescos, úmidos e não processados.

Proporção entre os alimentos na dieta

A dieta ideal do cão é rica em proteínas de origem animal, moderada em gorduras e pobre em carboidratos, o que corresponde à composição de uma presa na natureza.

Geralmente, a proporção indicada dos alimentos na dieta natural dos cães é:

  • 40% de carnes desossadas;
  • 20% de ossos carnudos;
  • 20% de vísceras musculares;
  • 10% de vísceras secretoras;
  • 5% de frutas e vegetais;
  • 5% de outros alimentos.

Carnes desossadas

  • Bovinos: cortes magros de acém, músculo, coxão duro, lagarto.
  • Aves (frango, peru, pato): peito, coxa e sobrecoxa desossadas (retirar pele e gorduras visíveis).
  • Peixes: sardinha cavalinha, peixes brancos.
  • Suínos: filezinho e lombo.

Importante: variar os tipos de carne oferecidos para garantir uma boa quantidade de cada um dos micronutrientes essenciais.

Sardinha: alimento mais que especial

As sardinhas, principalmente inteiras, são ricas em nutrientes e fontes de ômega 3. Tente inclui-las na dieta do cão pelo menos 2 vezes na semana.

Ossos carnudos

Os ossos carnudos devem ser escolhidos de acordo com o tamanho do pet, para que ele não engasgue.

NUNCA ofereça ossos cozidos ao cão.

Cães de porte grande
  • Cortes maiores de frango: coxas, sobrecoxas, dorso, metades;
  • pescoço de peru e pato;
  • costela em ripas, peito e pescoço bovinos serrados;
  • costela em ripas, paleta e pescoço de ovino, caprino e suíno;
  • codornas inteiras;
  • coelhos inteiros ou cortados pela metade;
  • pés de frango, peru e pato.
Cães de porte médio
  • Sobrecoxas, dorso e asas de frango;
  • pescoço de peru e pato;
  • peito bovino serrado;
  • costela em ripas de ovino, caprino e suíno;
  • codornas inteiras ou cortadas pela metade;
  • coelhos cortados em pedaços grandes;
  • pés de frango, peru e pato.
Cães de porte pequen
  • Pescoço, cabeça e drumet de frango, Rã, Codorna em pedaços;
  • pescoço de peru e pato moídos;
  • osso do peito de ovino picado ou moído;
  • pés de frango, peru e pato picados ou moídos;
  • coelho inteiro moído.

Vísceras

Existem dois tipos de vísceras: musculares e secretoras.

Vísceras musculares
  • Bovinos, ovinos e caprinos: língua, coração, pênis, estômago;
  • aves (frango, peru e pato): coração e moela;
  • suínos: coração;
  • avestruz: moela (encontrada desidratada).
Vísceras secretoras
  • Bovinos: fígado, baço, rim, pulmão, testículo, pâncreas, linfonodos, olhos, timo, cérebro, intestinos, próstata, útero, ovários, placenta e bexiga;
  • ovinos, caprinos e suínos: fígado, baço, rim, pulmão, testículo;
  • aves: fígado;
  • peixes: vísceras frescas (fígado, cérebro e olhos).

Vegetais

Os vegetais, apesar de não serem essenciais para o cão, fornecem fibras e fitoquímicos com propriedades antioxidantes.

Os legumes podem ser cozidos no vapor ou em água, e as frutas podem ser oferecidas cruas (estas não devem ultrapassar 5% da dieta).

Sementes e algas devem ser sempre processadas antes da oferta por meio de moagem, cozimento, demolhagem, fermentação ou germinação.

Verduras
  • Folhas verdes: acelga, rúcula, agrião, espinafre, alface-romana, azedinha, chicória;
  • crucíferas: couve, brócolis, couve-flor, repolho;
  • abobrinha, chuchu, salsão, pepino, aspargo;
  • solanáceas: jiló, berinjela, tomate, pimentão (evitar para animais com alterações intestinais e inflamatórias);
  • abóbora e tubérculos: cenoura vermelha, inhame, batata baroa, yacon (incluir com moderação).
Ervas, brotos e raízes
  • Frescas ou secas: hortelã, manjericão, alecrim, orégano, tomilho, salsinha, coentro, funcho, moringa (utilizar em pequena quantidade);
  • brotos: linhaça, brócolis, girassol e alfafa;
  • raízes frescas ou desidratadas em pó: cúrcuma, gengibre (utilizar em pequena quantidade).
Frutas
  • Frutas vermelhas: amora, mirtilo, framboesa, casca de jabuticaba, acerola sem semente, pitanga sem semente;
  • abacate e coco fresco (moído);
  • bananas frescas verdes ou biomassa;
  • frutas ricas em água: melão, melancia, kiwi, pera sem sementes (incluir com moderação).
Sementes
  • Oleaginosas: linhaça, chia, cânhamo, abóbora, girassol, gergelim;
  • nozes: noz mariposa, pecan, avelã, amêndoa, castanha-do-pará, castanha-de-caju.
Algas
  • Secas: Wakame, Nori e Kombu (incluir com moderação);
  • unicelulares, em pó: Chlorella, Spirulina (incluir com moderação).

Alimentos complementares na alimentação natural dos cães:

Quanto mais variada a dieta, maior a chance de que todos os minerais, vitaminas e outros nutrientes estejam presentes em abundância. Incluir outras opções, então, torna a alimentação ainda mais rica e interessante.

Inclua de forma rotativa os seguintes alimentos:

  • óleo de coco;
  • azeite;
  • óleo de girassol;
  • óleo de linhaça;
  • óleo de peixe;
  • manteiga;
  • sal marinho iodado;
  • ovos;
  • mexilhão e ostras;
  • lácteos fermentados: iogurte, kefir, coalhada, queijos maturados.

Suplementos essenciais na dieta caseira canina

Mesmo caprichando na variedade dos alimentos, alguns micronutrientes podem estar deficientes ou ausentes. Dessa forma, para garantir a saúde do cão, é importante suplementar a alimentação natural com alguns itens essenciais. Leia sobre eles aqui.

Gostou do texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!