Mãe depressiva sentada no chão apoiada no berço. Bebe em pé ao fundo com cara de que está aprontando. O estado emocional da mãe influencia na amamentação

Dra. Denise Brasileiro

O sucesso da amamentação depende de muitos fatores, entre eles a dieta, estilo de vida, qualidade do sono e o estado de saúde da mãe. Mas será que sentimentos como ansiedade e depressão influenciam no aleitamento materno? Sem dúvidas!

É muito comum que a mãe, principalmente de primeira viagem, sinta-se insegura com relação à amamentação. É aí que entra a rede de apoio, composta por familiares, amigos e profissionais de saúde que auxiliam e estimulam o processo da amamentação.

Ter uma boa rede de apoio, muitas vezes, evita que a mãe desista de amamentar seu pequeno!

Dicas que trazem mais tranquilidade às mães

  • Um bebê que faz xixi várias vezes ao dia está bem alimentado e hidratado;
  • fezes de coloração amarelo-ouro indicam que o leite está excelente. Fezes um pouco esverdeadas também são normais;
  • pesar semanalmente o bebê para que a mãe fique tranquila em relação ao crescimento e, consequentemente, à quantidade e qualidade do seu leite, é uma ótima ideia. É esperado que a criança ganhe de 20 a 30g por dia nas primeiras semanas.

Principais dificuldades da mãe durante o aleitamento materno

  • Dor causada pela pega incorreta ou fissuras nos seios: com o tempo, o bebê aprende a mamar e a pele dos mamilos fica mais resistente, especialmente quando é exposta ao sol diariamente. Em alguns casos, as fissuras podem ser tratadas com laser.
  • Preocupação com a quantidade de leite: se a criança está urinando e evacuando normalmente, e ganhando peso, o leite está suficiente. Para aumentar a produção de leite, deve ser permitido ao bebê mamar quando quiser e por quanto tempo precisar. Além disso, a mamada na primeira hora após o nascimento é muito importante para o sucesso da amamentação.
  • Preocupação com o leite “fraco”: não existe leite materno fraco. Ele possui todos os nutrientes necessários para o bebê, e na quantidade exata!
  • Falta de apoio: é comum que algumas pessoas expressem sua opinião ou crítica sobre o aleitamento e outros cuidados com o bebê. Cabe aos pais estabelecer limites e deixar claro que palpites negativos não são bem-vindos.
  • Cansaço: o período logo após o nascimento do bebê é cheio de desafios, incertezas e noites mal dormidas! É importante manter o número de visitas ao mínimo, principalmente nas primeiras semanas do bebê, que é quando a amamentação e os horários de sono ainda não entraram em uma rotina.

Principal conselho de todos!

O principal conselho, no entanto, é acreditar na intuição materna, que é a linguagem do amor da mãe por aquela criança.

Ela é como uma luzinha vermelha que se acende quando algo está errado, e que faz as mães entenderem e protegerem os seus filhos como ninguém mais é capaz de fazer.

Confiando em si mesma e no que diz a sua intuição, a mãe consegue filtrar as informações recebidas, os conselhos e até mesmo as críticas.

A intuição materna é poderosa e deve ser respeitada!

Gostou do texto? Mantenha-se sempre atualizado sobre as melhores escolhas para a sua vida com o nosso Blog e redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter)! Estamos te esperando.