Cachorro sentado no chão da uma lavanderia de uma casa. Ao fundo, mãe e filha estão usando a lavadora de roupa

Dr. Benjamim Maciel Jr.

Acredite: os acidentes domésticos não acontecem somente com os humanos. Uma casa possui vários itens que podem representar muitos perigos para os pets. Para saber como proteger seu peludo de todos eles, continue conosco!

Perigos para os pets na cozinha

Muitos alimentos adequados para consumo humano são potencialmente maléficos para cães e gatos. São alguns exemplos: grãos de café, chocolate, macadâmia, nozes, abacate, uvas e passas, sementes de maçã, pêssego e cereja, cebola, chás, álcool, chiclete, xilitol, sementes de mostarda e alho.

Portanto, sempre mantenha o lixo longe dos pets para evitar a ingestão de comidas mofadas e contaminadas. Além disso, tome bastante cuidado com as panelas e com o fogo para evitar os tão temidos acidentes domésticos.

Cuidado com os produtos de limpeza

A maioria dos produtos de limpeza que conhecemos possui diversas substâncias nocivas tanto para nós, quanto para os pets.

A grande questão é que os pets, ao contrário de nós, não usam calçados, passam grande parte do seu tempo deitados no chão e se lambem constantemente. Por isso, podem ser especialmente afetados por estes produtos.

A dica é:

  • armazene TODOS os materiais dedicados à limpeza em lugares altos e fechados;
  • durante a faxina, mantenha os animais em outro ambiente e só permita que eles circulem pela casa novamente quando tudo estiver bem sequinho;
  • opte por alternativas naturais e mais seguras de produtos de limpeza como vinagre, bicarbonato de sódio, bórax etc.

O bicarbonato de sódio é excelente para limpar manchas e reduzir odores desagradáveis. É levemente abrasivo e pode também ser utilizado para a limpeza de metais, do vaso sanitário e azulejos do banheiro.

Algumas curiosidades:

A mistura de vinagre com água, em proporções variadas, pode ser utilizada para a limpeza de diversas superfícies como a bancada da pia, os vidros das janelas e o chão.

O odor de vinagre, porém, é bem desagradável para algumas pessoas. A boa notícia é que ele pode ser disfarçado se colocarmos, no mesmo recipiente, cascas de limão, cravo ou algumas gotas de óleos essenciais, especialmente os cítricos.

Atenção: os gatos são muito sensíveis aos óleos essenciais. Afinal, estes podem provocar alterações gastrointestinais, depressão do sistema nervoso central e lesão do fígado. Portanto, não se recomenda utilizar óleos essenciais nas áreas frequentadas por felinos, a não ser que sejam aprovados pelo veterinário.

Antipulgas e carrapatos

Os produtos de uso tópico (talcos, coleiras, sabonetes e xampus) são seguros se utilizados corretamente. É preciso seguir sempre as orientações do veterinário quanto à dose, diluição, tempo de permanência e espécie do animal.

Se o produto especifica “uso somente em cães”, não deve ser utilizado em outras espécies.

Acidentes domésticos com inseticidas e raticidas

Os inseticidas e pesticidas organofosforados e carbamatos são muito utilizados para controle de pragas. No entanto, representam perigos para os pets.

Em mamíferos, por exemplo, a intoxicação por estes produtos provocam lacrimejamento, salivação, sudorese, diarreia, tremores e distúrbios cardiorrespiratórios. Podem ocorrer, também, depressão do sistema nervoso central e até mesmo a morte.

Portanto, muito cuidado com os sprays para insetos que podem ficar depositados no chão e ser ingeridos pelos animais.

É importante lembrar, também, que substâncias raticidas são responsáveis pela maioria dos casos de envenenamento de animais domésticos, que se interessam pelas “iscas” tanto quanto os ratos.

Sua ação anticoagulante pode levar à hemorragia generalizada e ao óbito. Os sintomas, que surgem após 2 a 3 dias da ingestão do veneno, costumam ser:

  • fraqueza;
  • palidez das mucosas;
  • abdome distendido;
  • petéquias;
  • sangramento nasal;
  • vômitos e diarreia com sangue;
  • dores musculares e articulares;
  • febre;
  • sintomas pulmonares (falta de ar);
  • sintomas neurológicos (ataxia, paralisia, convulsões).

Perigos para os pets no banheiro

Alguns medicamentos para uso humano são verdadeiros perigos para os pets: aspirina, ibuprofeno, naproxeno, acetaminofeno, paracetamol, vitaminas, remédios para emagrecer, anti-histamínicos, antidepressivos, entre outros.

Por isso, devem ser guardados sempre em locais fechados e inacessíveis e tomá-los longe dos pets.

Atenção: nunca medique seu animal sem consultar um veterinário.

Sabonetes, sabão líquido, pasta de dentes e filtros solares, quando ingeridos, causam alterações gástricas, vômitos e diarreia.

Por fim, mantenha a tampa do vaso sanitário sempre fechada para evitar o consumo de água tratada com desinfetantes.

Quarto e sala de estar

A maioria dos líquidos cheirosos utilizada para desodorizar a casa contém ingredientes tóxicos e irritativos. Mantenha-os sempre fora do alcance dos animais.

A naftalina, em pequena dose, pode causar irritação gastrointestinal, lesão do fígado e dos rins, alterações sanguíneas, edema cerebral, convulsões, coma e morte.

Baterias alcalinas podem ser tóxicas se ingeridas.

Drogas ilícitas e álcool podem intoxicar os animais e os levar a morte, sendo grandes perigos para os pets.

Alguns cães destroem pacotes de cigarro ou consomem restos pelo chão. A nicotina pode causar alterações neurológicas, como tremores e ataxia, e, mesmo em pequenas doses, sua ingestão pode ser fatal.

Pequenos objetos caídos pelo chão podem ser ingeridos pelos animais causando lesão do trato gastrointestinal. Alguns exemplos são: moedas, botões, joias, pregos e parafusos, brinquedos, potes de remédios etc.

Os fios expostos podem causar queimaduras e eletrocussão se mastigados.

Acidentes domésticos na garagem e no quintal

Vários produtos rotineiramente armazenados na garagem são perigosos para os animais: inseticidas, fertilizantes, gasolina, tintas, resinas, colas, solventes, fluidos para carros e óleos automotivos.

Quando ocorrer a aplicação de produtos no jardim, mantenha os animais afastados do local pelo tempo recomendado pelo fabricante.

Plantas

Existem várias plantas no jardim e dentro de casa que representam perigos para os pets:

  • alguns tipos de lírios (espécies Lilium e Hemerocallis) são plantas tóxicas para os gatos, capazes de provocar falência renal;
  • oleandro, teixo, dedaleira e kalanchoe podem causar problemas cardíacos se ingeridos;
  • palmeiras cica causam problemas intestinais graves, convulsões e lesão do fígado;
  • azaleias, rododendro, tulipa e narciso causam alterações intestinais, convulsões, coma e morte;
  • ruibarbo e trevo contêm substâncias que podem causar lesão renal;
  • outras plantas potencialmente tóxicas: ciclamen, amarílis, crisântemos, hera inglesa, filodendro, espada-de-são-jorge, hibisco, hidrângea, lírio da paz e cheflera;
  • os cogumelos podem causar lesão do fígado e outras alterações.

Se você suspeitar que seu animal foi intoxicado, procure imediatamente a ajuda de um veterinário. A rapidez no tratamento é essencial para aumentar as chances de uma completa recuperação.

Gostou do texto? Visite a editoria Saúde do Animal e saiba como manter a saúde do seu melhor amigo. Nossos veterinários e especialistas têm muito para contribuir.

Acesse, também, nosso Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre o universo pet.