Como evitar acidentes domésticos com crianças durante a quarentena?

Bebê sentado em um colchão segurando um brinquedo pequeno e levando em direção a boca para comê-lo

Em tempos de COVID-19, a quarentena se faz extremamente necessária. Basicamente, a ordem da vez é manter toda a família em casa até que os casos registrados dessa doença diminuam.
Porém, com toda essa reclusão, vêm aqueles períodos intermináveis de crianças que, por não terem alternativas, começam a brincar na sala, no banheiro, nos quartos, escritório e por aí vai. E isso, como já é de se esperar, pode ser muito, mas MUITO perigoso para elas.
Ocorre que qualquer casa costuma ter os seguintes itens: fogão, talheres pontiagudos, materiais de limpeza, remédios, tesouras e estiletes, ferro de passar roupa, escadas, tomadas, móveis repletos de quinas, produtos tóxicos (inseticidas, pilhas, venenos, termômetro com mercúrio etc) e por aí vai. E… bem, como todas nós sabemos, uma criança trancada em casa por muito tempo com tudo isso é sinônimo de TORMENTO.
Hoje, vamos conversar um pouco sobre os perigos domésticos para as crianças, principalmente durante essa pandemia de coronavírus? O que será que podemos fazer para evitar alguns acidentes com os nossos filhos dentro de casa? Bem, é só continuar comigo para descobrir!

Quais são os potenciais causadores de acidentes domésticos com crianças na minha casa?

Vamos por partes? Quero falar um pouco sobre cada cômodo da casa, e como ele pode apresentar perigo para uma criança. Veja bem:

1. Cozinha e área de serviço

Em primeiro lugar, a cozinha é o último lugar da casa que uma criança deve circular. Afinal, é nela que guardamos talheres pontiagudos e objetos de vidro, e esquentamos nossa comida.
Então, aí vão algumas circunstâncias que devemos prestar bastante atenção:

  • No fogão – crianças, principalmente as pequenas, adoram apertar botões, abrir e fechar coisas, tirar itens do lugar e por aí vai. Por isso, enquanto ninguém estiver usando o fogão, deixe o gás desligado. Assim, ninguém vai acendê-lo por acaso.
  • No preparo das refeições – ao cozinharmos, nós picamos, ralamos, fervemos, cozinhamos, usamos a panela de pressão e, quase sempre, fazemos tudo isso ao mesmo tempo. Então, é normal que, enquanto a batata frita no óleo, por exemplo, nossa atenção está virada para a salada que estamos preparando.
    É uma boa prática envolver a criança no preparo dos alimentos, mas a partir do momento que o fogão ou o forno são ligados, ela deve ser mantida fora da cozinha.
    Para certificar-se de que ela não entre no cômodo, instale um cercadinho na porta ou até mesmo deixe-a fechada. E se o pequeno já souber abri-la, tranque-a.
  • Com as cadeiras altas – para as crianças muito pequeninas, que ainda fazem suas refeições naquelas cadeiras altas, tenha muita atenção. A maioria, em algum momento, vai tentar descer delas, ou até mesmo escalá-las.
    Por isso, assim que colocar o pequeno para comer, prenda-o firmemente com os próprios mecanismos de segurança dessa cadeira (algumas têm cintos, por exemplo) e fique de olho!
  • Com as gavetas – crianças são bichinhos curiosos e criativos. Ou seja? TUDO, absolutamente TUDO para elas pode se tornar um brinquedo. Além disso, elas adoram explorar o ambiente, o que pode fazer com que elas abram as gavetas da cozinha e deem de cara com objetos extremamente perigosos.
    Por isso, procure selar TODAS as gavetas de forma que seus filhos não consigam abri-las. Atualmente, existem várias opções no mercado para essa finalidade.
  • Com os escorredores – é praticamente a mesma lógica das gavetas, acrescentando ainda objetos quebráveis e cortáveis como pratos de porcelana, copos de vidro e por aí vai. E todos eles bastante molhados e escorregadios.
    Logo, procure deixar os escorredores em lugares altos para que as crianças não os alcancem.
  • Com os armários baixos – a maioria das pias das cozinhas costuma ter aquele espaço em que colocamos alguns materiais de limpeza como limpa piso, água sanitária, detergente etc. Isso sem falar nos venenos e inseticidas. Porém, todos eles, sempre coloridos e vistosos, são muito atrativos para as crianças.
    Por isso, certifique-se de deixar essas portas bloqueadas, seja por meio de travas de proteção contra crianças, fechaduras e por aí vai. Se nenhuma dessas opções for possível, considere mudar o local destes produtos para um armário/prateleira mais alta.
  • Com o ferro e a tábua de passar roupa – ambos são pesados e perigosos até mesmo sem fazermos nada com eles. Imagina, então, quando o ferro está quente e a tábua cheia de roupas amontoadas? Assustador, não é?
    Por isso, quando for passar roupas, evite ao máximo que a criança fique transitando perto de você. Além disso, sempre procure fazer tudo em ambientes mais altos e estáveis, em que o pequeno não consegue puxar a tábua ou o fio do ferro. O mesmo vale para o armazenamento.

2. Sala de estar/escritório:

É neste cômodo que costumam ficar nossos aparelhos tecnológicos e materiais de escritório. Além disso, por ser um dos maiores lugares da casa, é onde as crianças mais ficam e brincam ao longo do dia. Por isso, o cuidado aqui também precisa ser redobrado, principalmente:

  • com as tomadas – essa é, talvez, a dica de prevenção mais básica contra acidentes domésticos com crianças. NUNCA deixe de colocar protetores em TODAS as tomadas, até mesmo aquelas que você acha que não funcionam mais.
    Além disso, se você por acaso aproveitar uma régua de tomadas para ligar várias coisas ao mesmo tempo, deixe-as em lugares que estejam fora do alcance das crianças.
    Por fim, certifique-se de que TODOS os fios dos aparelhos tecnológicos da sua casa estejam em perfeita condição.
  • Com os materiais de escritório – tesouras, estiletes, grampeadores, lapiseiras pontudas, borrachas e até mesmo o papel A4. TUDO deve ficar longe do alcance das crianças, ainda mais se elas forem muito novinhas.
    Para os pequenos mais independentes, sempre mantenha perto deles tesouras sem pontas e giz de cera (mesmo assim, fique sempre atento para que eles não comam o giz).
  • Com os objetos e brinquedos muito pequenos – as crianças tendem a colocar tudo na boca. Então, evite deixar objetos e brinquedos menores ao alcance delas. Afinal, eles podem ser facilmente engolidos pelo pequeno ou até mesmo o sufocarem.
  • Com as quinas – os pequenos amam correr e se arrastar por aí. Por isso, o ambiente precisa estar preparado e, mais do que isso, seguro para essas atividades. Sorte que, para resolver isso, é só colocar proteção nas quinas de todos os móveis da sala, e retirar de perto dos móveis qualquer coisa que possam fazer a criança escorregar, como um tapete, por exemplo.
  • Com as escadas – se você tiver crianças muito pequenas em casa, coloque cercadinhos nas escadas para evitar que elas tentem brincar em cima delas.
    Além disso, reforce aos seus filhos que não se deve correr enquanto se desce e se sobe qualquer degrau da casa, por menor que seja, e que sempre precisamos olhar para baixo quando fazemos isso.
  • Com os itens frágeis de decoração – os enfeites dão aquele toque especial ao lugar. Porém, quando são de vidro e muito fáceis de serem quebrados, é importante que eles fiquem fora do alcance das crianças.
    Assim, você poupa os seus objetos, e mantém os seus filhos seguros.
  • Com as pilhas e baterias – normalmente, esses objetos são guardados nas gavetas da sala. Assim, no momento em que o controle da televisão falhar, ou as pilhas da lanterna acabarem, lá estão eles, de prontidão!
    Porém, por serem muito pequenos e MUITO tóxicos não só para nós, adultos, mas principalmente para as crianças, é preciso que eles fiquem fora do alcance delas (seja em lugares mais altos, ou em gavetas bloqueadas por aparatos de segurança).
    PS: NUNCA esqueça as pilhas usadas em cima de alguma superfície da sala, e coloque proteção em todos os controles para que as crianças não consigam tirá-las deles.

3. Banheiro

Sabe uma coisa que eu não entendo? COMO que o menor lugar da casa, cheio de itens em porcelana e vidro, pode ser coberto por azulejos escorregadios?
O banheiro é um dos lugares da casa em que os acidentes domésticos mais acontecem, principalmente com crianças. Então, vou colocar aqui algumas dicas de como evitá-los:

  • Se o banho do pequeno for de banheira, atenção MÁXIMA – a verdade é que uma criança só deve tomar banho de banheira quando já está completamente firme e mais independente dos pais. Antes disso, os riscos de afogamento são ENORMES.
    Porém, se esse for o único jeito, lembre-se: atenção redobrada ao pequeno!
  • CUIDADO com os eletrodomésticos próximos à banheira – secadores, pranchas, barbeadores, mini-tvs etc. Tudo isso, quando em contato com a água, pode causar um curto-circuito. Se uma pessoa estiver na banheira, então, as chances dela ser eletrocutada violentamente são de 99,9%.
    Por isso, mantenha todos esses aparelhos desligados durante o banho do pequeno, e o mais longe possível da banheira.
  • Coloque tapetinhos anti-derrapantes no box – não adianta: crianças fazem algazarra até mesmo quando estão tomando banho. Isso significa dançar, pular e se divertir em um ambiente não tão seguro assim.
    Por isso, redobre os cuidados. Coloque um tapetinho anti-derrapante FIRME para que o pequeno não caia e nem bata a cabeça durante suas algazarras, e fique SEMPRE de olho nele.
  • Mantenha a privada fechada e ensine a criança que não se pode subir nela, nem na pia – acidentes domésticos que envolvem estes dois itens são sempre muito perigosos e, infelizmente, comuns.
    Ensine ao pequeno que o lado de dentro da privada é sujo e que, portanto, não é lugar para brincadeiras. Além disso, reforce que esta, assim como a pia, não aguenta o peso de uma pessoa em pé, podendo inclusive machucá-la quando quebrada.
  • Deixe o armário de remédios trancado a sete chaves – xaropes coloridos e com sabor docinho, comprimidos pequeninos, termômetros e por aí vai: todos MUITO sedutores e perigosos às crianças.
    Mantenha o armário de remédios fechado, principalmente porque o pequeno ainda não entende o quanto eles, quando ingeridos fora de hora e/ou em muita quantidade, podem fazer mal ao organismo.
  • Por fim, algumas dicas e observações extras para evitar os acidentes domésticos com crianças

    Reveze os momentos de atenção ao pequeno

    Eu sei que muitas de nós vamos trabalhar de casa. Porém, é importante que as crianças sempre estejam em nosso radar. Para isso, tente revezar os horários de “vigia” com seu marido e outros membros da família, e siga à risca todas as dicas que dei ao longo desse texto para aumentar a segurança dos cômodos.

    Largue mão do celular e outras distrações

    Já ouviu aquela expressão que diz que, quando desviamos o olhar da criança por 1 segundo, ela se descuida e se machuca? Pois é. Não precisa ficar 24 horas vigiando o seu filho, mas quando for fazê-lo, que sua atenção esteja 100% nele, e não em outras coisas como o seu celular, a televisão, um livro etc.

    Não deixe bolsas e mochilas no chão, ou ao alcance das crianças

    Nela, carregamos remédios, dinheiro (que é MUITO sujo), estojos etc. Todos muito perigosos para a saúde dos seus pequenos.

    Gostou do Texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!

    Pediatria

    Pediatra, especializada em Nutrologia. Membro do corpo clínico da Mon Petit, clínica pediátrica, em Belo Horizonte.

    Deixar Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *