Cães de raça correndo felizes na grama

Dra. Graziela Schenttino

As raças de cães foram criadas e tiveram seu desenvolvimento intimamente ligado à sua função, ou seja, sua capacidade em auxiliar o ser humano das mais variadas formas. Esses indivíduos foram selecionados de acordo com suas aptidões, basicamente: caça, pastoreio, proteção e tração (cães de trenó).

Graças à essa seleção, temos cães de raça com habilidades distintas e, às vezes, quase que específicas para cada caso. O resultado final realmente depende de treinamento. Porém, só o cão que nasceu com aquela aptidão necessária alcançará um resultado satisfatório em determinada atividade ou trabalho.

Isso só é possível porque existem criações selecionadas. Elas são direcionadas para a obtenção de determinadas características intrínsecas de comportamento e “instintos” que sejam mais ou menos aguçados em cada indivíduo.

Por que os cães de raça são tão úteis?

No Brasil, temos cães de pastoreio que auxiliam no manejo de rebanhos instintivamente. Temos exímios farejadores, habilidade que inicialmente era utilizada na caça, mas que hoje ajuda a sociedade das mais variadas formas. Eles costumam encontrar pessoas desaparecidas ou qualquer coisa para a qual o cão seja treinado a procurar: entorpecentes, explosivos, cadáveres, aparelhos celulares (em presídios) e até mesmo células cancerígenas.
Temos cães de assistência, que ajudam na realização de tarefas, capazes de dar mais autonomia e aumentar a funcionalidade de pessoas com deficiência.

Além do clássico cão-guia, que tanto ajuda deficientes visuais, há também cães de raça que ajudam pessoas com epilepsia, doenças psiquiátricas, deficiência auditiva, deficiência motora entre outros.

Existem, também, os cães de proteção, a atividade mais popular em que eles são empregados. Temos desde o cão de guarda da família, que alerta sobre qualquer percepção incomum à rotina, até o cão de serviço policial, que faz patrulhamento e imobilizações táticas.

Não se pode esquecer, jamais, que independentemente da raça, porte, nível de treinamento ou aptidão, um cão é também um grande companheiro do ser humano. Não é preciso que ele seja “de raça de companhia”, basta ser cachorro!

Criando com responsabilidade

Toda criação de cães de raça deve ter critérios, tanto em relação à seleção (conforme a finalidade, histórico de saúde familiar etc), quanto ao bem-estar individual e coletivo.

Via de regra, quando se fala em criação de cães de raça, qualidade é inversamente proporcional a quantidade. Quanto mais criteriosa a criação, menos numerosa ela será. Afinal, criar com critério e cuidado custa caro e demanda muita dedicação.

Menos é mais

Os melhores criadores de cães raramente são aqueles que possuem canis gigantescos, com um grande número de exemplares.

Geralmente, eles possuem poucos cães, muitas vezes ao ponto de nem precisarem de uma estrutura “de canil”. Isso ocorre porque o número de cães é reduzido, com o diferencial de serem provenientes de determinadas linhagens, terem exames que mostrem boa saúde para passar seus genes adiante, devidamente registrados em entidade cinófila etc.

É por isso que os bons criadores nunca têm seus filhotes vendidos em vitrines. Eles não produzem uma quantidade que possibilite a isso (e sequer o consideram).

Como identificar um bom criador?

Bons criadores:

  • são eternos estudiosos e pesquisadores;
  • investem muito tempo e dinheiro na criação (fazendo contato com outros criadores de destaque, adquirindo exemplares de boa procedência de qualquer parte do mundo, realizando exames e o correto planejamento de acasalamentos etc);
  • dedicam grande parte da sua vida aos cães;
  • garantem que seus cães tenham carinho, atenção, higiene, atividade física, treinamento adequado e alimentação de qualidade.

São também sinais de saúde de uma criação: a capacidade das matrizes em terem partos normais, assim como os acasalamentos/montas serem naturais (há criações que infelizmente utilizam cães sem libido na reprodução, característica que acaba sendo selecionada e perpetuada naquela linhagem).

Matrizes equilibradas geram filhotes mais equilibrados. Quando é oferecido espaço adequado para a mãe e filhotes, assim como um meio da mãe “escapar dos filhotes” quando ela assim desejar, o desmame ocorre naturalmente, sem que tenhamos que separar ou forçar qualquer coisa.

Um espaço adequado também faz com que os filhotes aprendam naturalmente a sujarem longe da cama – cães são animais naturalmente limpos, a não ser que sejam obrigados a viver de outra forma, sem espaço e sem higiene – e esse aprendizado na fase de desmame geralmente é carregado por toda vida.

Respeitando sua natureza e promovendo saúde por meio da alimentação

Se estudarmos a fisiologia dos cães, veremos que são basicamente lobinhos. Canídeos têm todo o trato digestório e, inclusive, o formato dos dentes nos mandando um recado muito claro: são carnívoros.

Então, qual seria a melhor alimentação para eles?

Carnes, vísceras, ossos carnudos e presas! Uma alimentação biologicamente apropriada garante mais saúde porque ela é lindamente digerida e corretamente aproveitada pelo organismo, garante maior bem-estar, satisfação e equilíbrio.

Embora os cães tenham se adaptado ao consumo de carboidratos conforme acompanharam o homem na sua evolução, hoje vemos inúmeras disfunções e problemas de saúde decorrentes do consumo excessivo de açúcar. As rações são feitas de amido que, resumidamente, é carboidrato. Ou seja? Transforma-se em açúcar.

Os benefícios de uma boa alimentação aos cães de raça

A diferença na saúde geral e disposição dos cães, vista também no vigor dos filhotinhos logo que nascem, é algo notável quando se tem um plantel alimentado com comida de verdade (comida de carnívoro, claro). Até mesmo o hemograma muda – para melhor – quando modificamos a alimentação da ração para uma comida biologicamente apropriada à espécie.

Filhotes crescem de forma regular, saudável. Dentes e gengivas são mantidos em melhor estado, ao longo da vida, quando consomem poucos carboidratos. Ingestão de água – e, consequentemente, a saúde do trato urinário – é garantida pela oferta do alimento in natura.

Enfim, um conjunto de ações como essas determinam uma boa criação de cães de raça que só tenha a contribuir com nossa sociedade. E se ela for administrada de forma racional e o mais natural possível, prezando pela saúde plena e bem estar dos pets, melhor ainda.

Gostou do texto? Para ler mais conteúdos como esse, fique de olho em nosso Blog e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)!